O que é Neuromarketing e 3 dicas para aderir a estratégia

Não perca mais tempo!
Contrate agora um parceiro de marketing que realmente pensa nos resultados e crescimento do seu negócio.

Arvorar-se pelo caminho da comunicação empresarial pode, em grande medida, significar uma abordagem cada vez mais complexa. Nesse sentido, entender o que é Neuromarketing é essencial.

Ser reconhecido pode ser um dos grandes objetivos de qualquer empreendimento. No entanto, é chegado o momento em que apenas isso não basta.

Afinal de contas, a comunicação tem ganhado aspectos cada vez mais complexos e, nesse sentido, demandado algumas novas atenções.

Não há mais espaço para comunicações generalistas que visam apenas informar um público sobre um determinado produto.

Essa foi uma abordagem muito utilizada pela publicidade tradicional, mas que, via de regra, vem sendo cada vez menos utilizada.

O anúncio de uma máquina de café para alugar, por exemplo, poderia ter apenas uma comunicação direcionada ao desejo.

Contudo, é possível complexificar ainda mais essa relação com a dinâmica de consumo do cliente.

É nesse sentido que o neuromarketing surge como um aliado das relações entre marca e cliente.

Entender, portanto, quais são as suas potencialidades pode ajudar a nortear todo planeamento estratégico de uma empresa.

Alguns dos benefícios que esse tipo de estratégia pode trazer para uma marca pode ser resumidos em:

  • Orientação estratégica;
  • Precisão;
  • Melhorar experiência;
  • Criação de memória.

Esses são alguns dos milhares de objetivos que esse tipo de abordagem pode trazer para uma empresa que a adota.

Por isso, é importante pormenorizar cada detalhe dessa relação para que, assim, não se caia em generalismos que podem vulgarizar as suas denominações.

O primeiro ponto está relacionado à orientação estratégica que esse tipo de medida pode fornecer para a empresa.

A partir da compreensão dos motivadores de consumo daquele público, uma empresa que fornece jaleco médico personalizado pode orientar sua comunicação.

Há, nesse sentido, também, a capacidade de aumentar a precisão do impacto daquela mensagem que se deseja transmitir.

Afinal de contas, quanto mais alinhada ela estiver com os interesses do público, maior será o seu impacto.

Outro ponto essencial que esse tipo de abordagem pode trazer é a melhoria da experiência do cliente com a marca.

Identificando os seus anseios mais preponderantes, acaba ficando fácil avaliar quais serão as aplicações a serem feitas para melhorar o seu cotidiano com a empresa.

Uma loja de materiais de construção que entenda, por exemplo, a dinâmica que fundamenta a compra de conduíte externo pode orientar ainda mais esse tipo de ação.

Nesse caso, uma simples compra de um elemento corriqueiro pode, em maior medida, fundamentar uma relação muito mais complexa e satisfatória.

Por fim, tudo isso alinhado tem a capacidade de posicionar uma marca para o seu público de forma muito ampla.

Há, portanto, a capacidade de ir além e gerar memória de longo prazo daquela empresa com um cliente.

Uma empresa que vendeu uma divisória eucatex com vidro mantendo essa experiência em alto nível pode garantir uma certa empatia por parte de seus consumidores.

O que é neuromarketing

Generalizar as ações que o neuromarketing pode mediar entre o público e a empresa pode carecer de ainda mais substância.

Reconhecê-lo, portanto, em suas denominações mais elementares pode ser uma ferramenta definidora na hora de considerá-lo.

Essa estratégia está fundamentada em dois pilares centrais: o marketing e a neurociência laboratorial.

Ou seja, a partir de verificações de constatações no âmbito da medicina neurológica, é possível entender uma série de efeitos que esse tipo de abordagem tem na mente de uma pessoa.

Apesar de parecer uma terminologia nova, foi no fim dos anos 90 que ela começou a ser pesquisada de forma mais aprofundada em Harvard e, posteriormente, já nos anos 2000, passou a ser aplicada.

Partindo da compreensão da capacidade que alguns estímulos têm de causar certas sinapses cerebrais, o neuromarketing passou a fundamentar uma série de horizontes estratégicos bem delimitados.

Na verdade, tudo que consegue ter base em dados científicos para se realizar acaba conseguindo se munir de uma previsibilidade muito saudável.

Uma empresa que vende concreto usinado m3, por mais fria que seja sua relação com os clientes, conseguirá manter uma certa proximidade a partir desse tipo de abordagem.

Breve panorama sobre neuromarketing

Como dito anteriormente, essa perspectiva diz respeito à junção de ferramentas de marketing de da neurociência.

A partir da Teoria do Cérebro Trino, é possível estabelecer algumas compartimentações para verificar o estímulo.

Sendo assim, a partir de uma tomografia, será possível observar alguns impulsos elétricos dentro do cérebro de uma pessoa.

Essas compartimentações presentes na teoria vão dizer quais são as áreas que trabalham de acordo com cada estímulo proposto na pesquisa. 

Por que aplicar em uma empresa?

Tendo em mente que o conhecimento dos mecanismos de decisão são desconhecidos de grande parte da população já é uma chamada a compreendê-los.

Afinal de contas, quanto mais complexa for a postura da empresa dentro de um mercado, melhor será o seu desempenho frente a concorrência.

Na verdade, quanto mais elevado for o critério, menor será a chance de ter que disputar espaço com um número grande de empresas.

Se, por exemplo, a intenção for aumentar o número de contratantes para o aluguel light sheer, esse tipo de abordagem pode ajudar.

Nesse sentido, apesar de parecer estranho falar de questões tão técnicas do âmbito da medicina, elas acabam conseguindo trazer a empresas para uma vida cotidiana mais saudável dentro de seu segmento.

Há dois pontos essenciais que podem ajudar a responder o porquê de se investir nessa estratégia.

Usar a linguagem e o formato certo

A empresa pode ter o melhor produto ou oferecer o melhor serviço para o seu mercado, mas, se isso não estiver fundamentado em uma boa comunicação, de nada vai adiantar.

Pode parecer uma realidade dura, mas é a mais pura verdade. Por isso mesmo, é importante entender quais são os principais mecanismos de linguagem que conseguem atingi-los.

Partindo dos pressupostos do neuromarketing, uma empresa que oferece o serviço de fechamento de varanda preço m2 pode compreender qual a linguagem e formato mais impactantes para aquele público.

Estímulos cerebrais

Esse é um ponto que pode assustar, uma vez que, de forma profunda, só quem consegue entender essa dinâmica são os neurocientistas.

Contudo, é possível encontrar uma literatura vasta desses mecanismos aplicados ao marketing.

A partir dessa compreensão, é possível entender como atingir com a linguagem certa na hora mais apropriada.

3 dicas de como aplicar o Neuromarketing

Ter em mente algumas dicas para efetuar a aplicação desse tipo de recurso de forma saudável pode ajudar.

Na verdade, esse é um assunto com uma amplitude enorme e, nesse sentido, há uma série de medidas que podem ser tomadas.

Apontar alguns recursos mais utilizados dentro do mercado pode ajudar a esclarecer como aplicá-lo.

Neurônio espelho

Há um consenso dentro da área da neurociência, que é a presença do neurônio espelho na formação cerebral.

Ele é responsável pelo ímpeto de replicar comportamentos e, nesse sentido, pode ser uma grande pedida dentro do neuromarketing.

Se um influenciador, por exemplo, mostrar os benefícios de um rack para patch panel isso, dependendo do envolvimento do espectador, pode significar a necessidade de replicar a compra.

Estímulo de sentidos

Todo mundo tem alguma recordação de uma pessoa querida fazendo algum tipo de comida a partir de seu cheiro.

Essa memória olfativa é apenas um dos estímulos de sentido que o ser humano pode obter no seu dia a dia.

A partir dessa compreensão, é possível que as marcas consigam se estabelecer apostando em outros estímulos que não apenas o visual.

Storytelling

Por último, todos gostam de uma boa história. A capacidade que elas têm de prender a atenção acaba sendo quase instantânea.

Esse tipo de estratégia pode ser muito bem utilizada na hora de se consolidar uma comunicação de marketing.

Prender a atenção pode ser a garantia de que outros estímulos poderão ser oferecidos para aquele público.

Considerações finais

Pode até parecer estranho falar de mecanismos neurológicos técnicos dentro do ambiente do marketing.

Contudo, são eles que fundamentam todas as dinâmicas de consumo conhecidas pelo mercado.

Por isso, compreender como funciona o cérebro humano acaba sendo um fator preponderante na imposição de certas dinâmicas.

Nesse caso, o neuromarketing acaba surgindo como uma forma de aglutinar todos esses conhecimentos para aplicar dentro do mercado.

Entender, portanto, suas potencialidades pode ser a garantia de sucesso para qualquer marca.

Isso porque, a partir dele, é possível definir os estímulos cerebrais exatos para cada circunstância mercadológica.

Apostar em determinadas ferramentas que o neuromarketing traz pode, em grande medida, ajudar no posicionamento da marca.

Compreender como funciona um neurônio espelho, por exemplo, pode estimular certas ações do público consumidor.

Além disso, estimular os sentidos e saber contar uma boa história pode ser de grande valor na hora de efetuar uma venda.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Veja mais conteúdos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.